A biblioteca…

No meu apartamento no Recreio dos Bandeirantes há dois quartos: o quarto do casal, e o quarto de visitas. O quarto de visitas funciona mais como um escritório e é onde tudo se entulha. Há computador, impressora, material de escritório, documentos, papéis a não ter fim e livros, muitos livros. Por baixo eu e Carol devemos ter juntos uns 300 livros, sem contar as revistas, que vão de National Geographic até quadrinhos. Está tudo entulhado em uma estante que não foi pensada para comportar tantos livros. A livralhada toda jogada e apertada na estante deixa o aspecto do escritório bem desarrumado. Temos um real problema de espaço. Com a possibilidade concreta de em um futuro próximo irmos parar em algum país da África, pensamos em “esvaziar” o escritório, ou ao menos deixá-lo mais arrumado. Além de jogar muita porcaria no lixo, precisamos arrumar melhor os livros, provavelmente em um móvel novo. Eu acho que o ideal é arruma um móvel com porta, para proteger os livros da poeira, que fatalmente vai acumular em um apartamento fechado.
 
Nesses momento de mudanças surgem algumas oportunidades de melhorar as coisas. Já há alguns anos que eu tinha a idéia de organizar a biblioteca, catalogar os livros no computador, até para se ter uma visão mais clara de tudo aquilo que nós temos. Mas a trabalheira danada e a falta de uma ferramenta que facilitasse a inserção dos dados de cada livro sempre me fizeram deixar isso pra lá. Hoje em dia há uma série de programas que automatizam esse trabalho ao máximo. Com o auxílio de um leitor de código de barras ou mesmo de uma webcam adaptada parar ler código de barras, é possível consultar a Amazon, a Biblioteca do Congresso Americano e tantas outras fontes, e pegar os dados dos livros. Se o livro não tem código de barras, os programas procuram pelo ISBN do livro e completam todas as informações básicas e em algumas vezes até mesmo a foto da capa do livro. Usa os serviços da megalivraria online Amazon ou de bibliotecas que liberam a pesquisa em seus bancos de dados através do protocolo Z39.50. Maravilhoso!

Mas nem tudo são flores. Apesar de termos acesso ao catálogo da Biblioteca Nacional online, nāo é permitido o acesso direto ao banco de dados. E entrei em contato com a BN por e-mail em 2006 perguntando pelo acesso:
Data: Sun, 25 Jun 2006 23:54:16 -0300
De: [email protected]
Assunto: Fale Conosco
Para: [email protected]

Mensagem: Gostaria de informações de como obter permissão para a
utilização do servidor que disponibiliza a visualização do acervo da
Biblioteca Nacional, através dos protocolos YAZ e Z39.50.

Está disponível o acesso para pessoa física?

Desde já agradecido,

Vinícius

A resposta veio depois de alguns dias:
Em 26/06/06, [email protected] < [email protected]> escreveu:
> Sua mensagem está sendo redirecionada para a Coordenadoria de Informação
> Bibliográfica.
> Atenciosamente,
> Eliane Perez
> Coordenadoria de Pesquisa

E essa mensagem ficou sem resposta… Acabou que fui para Angola, vim para a Tunísia e o assunto foi deixado para segundo plano…

Mas depois de ler uma entrevista no JB do Sr. Muniz Sodré, presidente da BN, , falando sobre a digitalização da Biblioteca, resolvi tentar novamente:
para: [email protected]
data:wpid-cleardot-2008-05-11-11-37.gif3 de janeiro de 2008 04:31
assunto: wpid-cleardot1-2008-05-11-11-37.gifAcesso informático à Biblioteca Nacional

Bom dia,

gostaria de obter uma resposta a esta solicitação, enviada ainda em
2006 à biblioteca. Tenho ainda interesse em obter o acesso ao banco de
dados da BN. Li em O Globo que o Dr. Muniz Sodré está trabalhando pela
digitalização do acervo.
É possível o acesso às pessoas físicas?

Agradecido,

Vinicius Provenzano

A resposta chegou alguns dias depois:
de wpid-cleardot2-2008-05-11-11-37.gifLiana Gomes
para wpid-cleardot3-2008-05-11-11-37.gif[email protected]
datawpid-cleardot4-2008-05-11-11-37.gif7 de janeiro de 2008 15:19
assuntowpid-cleardot5-2008-05-11-11-37.gifAcesso as bases de dados da Biblioteca Nacional
Prezado Senhor,
Vinicius Provenzano
 
Em relação a sua solicitação de acesso aos serviores de dados da BN através protocolo Z39.5, vimos informar que o acesso as bases de dados de imagens da BN Digital) estão disponíveis somente para consulta, não sendo permitido o download de registros.
Atenciosamente,
 
Liana Gomes Amadeo
Diretora do Centro de Processos Técnicos
Fundação Biblioteca Nacional

Não fiquei satisfeito com a resposta e liguei para a Diretora Liana Gomes Amadeo. A princípio me pareceu incomodada com minha solicitação, mas depois de entender melhor minha motivação se mostrou muito gentil e me explicou que a BN disponibiliza este tipo de pesquisa somente a algumas poucas instituições afiliadas/conveniadas. Percebi que havia uma preocupação em preservar a Biblioteca Nacional de ter seu banco de dados roubado, talvez por um Google qualquer. Não tendo o que mais discutir desliguei o telefone.

Como esse problema de organizar minha biblioteca é recorrente no meu caso, deve ser no caso de outros. E mesmo de verdadeiras bibliotecas, públicas e privadas, nas escolas e cidades por este país afora. Como seria mais prático ter acesso a esse acervo de forma mais simples!

A Biblioteca Nacional já tem o serviço funcionando. A página de catálogos consulta este serviço para exibir seus resultados. Mas este serviço deveria ser aberto ao público, preferencialmente de forma gratuita. Façam um espelho do banco de dados, vamos progredir!!!!!

Ministro Gil dá uma força aí!

Quem sabe um dia…

Férias Merecidas – De volta ao Rio!

Depois de 4 meses longe eu estou chegando no Rio neste domingo! Na realidade adiantei minhas férias em 2 semanas, para poder estar no Maracanã na final da Taça Rio. Vem a calhar também pois consigo pegar todos os feriados, e aproveito melhor família e amigos que estarão livres também!

Eu saio de Túnis amanhã de noite, vou até Paris e depois sigo para o Rio. Vou chegar moído no Galeão no domingo cedinho e vou para casa descansar… e me preparar para ver a final! Torcer pelo Fluzão depois de tanto tempo longe, no Maraca, vai ser demais… Olha responsabilidade aí galera do Flu! Não vamos deixar a cachorrada azedar a festa!

Eu fico no RIo até dia 5 de maio e espero conseguir resolver alguns problemas burocráticos e encontrar todo mundo! Matar a saudade da família já começa no Maraca, vou com meu pai e a Carol, e vai ser o máximo!

A Carol está organizando vários eventos para as férias e espero que eu consiga mater o rítmo! Mas não posso esquecer que estou de férias e que preciso descansar para segurar esse rojão que é aqui na Tunísia! O projeto está chegando ao fim e trabalho aumenta pacas… Além disso quando eu voltar essa terra aqui vai estar em pleno verão escaldante, de fritar ovo no asfalto…

Até já galera! Pode marcar o chopp!

Férias Merecidas – De volta ao Rio!

Depois de 4 meses longe eu estou chegando no Rio neste domingo! Na realidade adiantei minhas férias em 2 semanas, para poder estar no Maracanã na final da Taça Rio. Vem a calhar também pois consigo pegar todos os feriados, e aproveito melhor família e amigos que estarão livres também!

Eu saio de Túnis amanhã de noite, vou até Paris e depois sigo para o Rio. Vou chegar moído no Galeão no domingo cedinho e vou para casa descansar… e me preparar para ver a final! Torcer pelo Fluzão depois de tanto tempo longe, no Maraca, vai ser demais… Olha responsabilidade aí galera do Flu! Não vamos deixar a cachorrada azedar a festa!

Eu fico no RIo até dia 5 de maio e espero conseguir resolver alguns problemas burocráticos e encontrar todo mundo! Matar a saudade da família já começa no Maraca, vou com meu pai e a Carol, e vai ser o máximo!

A Carol está organizando vários eventos para as férias e espero que eu consiga mater o rítmo! Mas não posso esquecer que estou de férias e que preciso descansar para segurar esse rojão que é aqui na Tunísia! O projeto está chegando ao fim e trabalho aumenta pacas… Além disso quando eu voltar essa terra aqui vai estar em pleno verão escaldante, de fritar ovo no asfalto…

Até já galera! Pode marcar o chopp!

Enquanto isso em Londres…

O novo terminal 5 do aeroporto de Heathrow abriu e empacou… .Muita gente ficou sem mala e sem vôo… Eu não tive problema… Cheguei no terminal 2…

Eu não conhecia Londres… Fiquei três dias e adorei…

Olha só algumas fotos..

wpid-img-00073-2008-04-8-01-011.jpg

wpid-img-0012-2008-04-8-01-011.jpg

wpid-img-0018-2008-04-8-01-011.jpg

wpid-img-0016-2008-04-8-01-011.jpg

wpid-img-0022-2008-04-8-01-011.jpg

wpid-img-0021-2008-04-8-01-011.jpg


















`

Enquanto isso em Londres…

O novo terminal 5 do aeroporto de Heathrow abriu e empacou… .Muita gente ficou sem mala e sem vôo… Eu não tive problema… Cheguei no terminal 2…

Eu não conhecia Londres… Fiquei três dias e adorei…

Olha só algumas fotos..

wpid-img-00073-2008-04-8-01-01.jpg

wpid-img-0012-2008-04-8-01-01.jpg

wpid-img-0018-2008-04-8-01-01.jpg

wpid-img-0016-2008-04-8-01-01.jpg

wpid-img-0022-2008-04-8-01-01.jpg

wpid-img-0021-2008-04-8-01-01.jpg


















`

Gilberto Gil em Túnis

Recebi da embaixada brasileira na Tunísia o seguinte e-mail, que compartilho com todos:

“Prezados amigos,

No contexto da edição de 2008 do Festival “Jazz à Carthage”,
o cantor e compositor GILBERTO GIL realizará concerto em Túnis, no dia
10 de abril, às 21 horas, no auditório do hotel Barcelo Carthage. (…) Com vistas a permitir à comunidade brasileira assistir ao
espetáculo com todo o conforto, a Embaixada do Brasil irá reservar um
número limitado de assentos no auditório. Pede-se, portanto, que
aqueles que tiverem adquirido ingressos informem a  Embaixada assim
que possível, por telefone ou e-mail, para que possam ter assegurados
bons lugares.
(…)
Maiores informações sobre o espetáculo, bem como sobre a
programação do Festival “ Jazz à Carthage”, pode ser obtida na webpage
www.jazzacarthage.com. “

Isso mesmo pessoal! Vai rolar um showzinho VIP do ministro!!!

E é claro que vou estar lá!!!!

Gilberto Gil em Túnis

Recebi da embaixada brasileira na Tunísia o seguinte e-mail, que compartilho com todos:

“Prezados amigos,

No contexto da edição de 2008 do Festival “Jazz à Carthage”,
o cantor e compositor GILBERTO GIL realizará concerto em Túnis, no dia
10 de abril, às 21 horas, no auditório do hotel Barcelo Carthage. (…) Com vistas a permitir à comunidade brasileira assistir ao
espetáculo com todo o conforto, a Embaixada do Brasil irá reservar um
número limitado de assentos no auditório. Pede-se, portanto, que
aqueles que tiverem adquirido ingressos informem a  Embaixada assim
que possível, por telefone ou e-mail, para que possam ter assegurados
bons lugares.
(…)
Maiores informações sobre o espetáculo, bem como sobre a
programação do Festival “ Jazz à Carthage”, pode ser obtida na webpage
www.jazzacarthage.com. “

Isso mesmo pessoal! Vai rolar um showzinho VIP do ministro!!!

E é claro que vou estar lá!!!!

Buenos dias Señorita!

Neste dia dos namorados gringo, como meu amor está entre a Colômbia e a Venezuela, ma travesti de Pablito, el Don Ciccio e tirei essa foto!

wpid-pablito1-2008-02-14-22-03.jpg

Um beijão meu amor!

Televisão na Tunísia e a Globo Internacional!

Um problema do meu apartamento aqui na Tunísia sempre foi assistir televisão.

Aqui só há dois canais do que nós no Brasil chamamos de TV aberta. E não existe nenhum tipo de serviço de televisão por assinatura, tipo NET ou DirecTV.

A única opção que nós temos é comprar uma parabólica e um decoder e assistir aos canais “abertos” de algum satélite, como o HotBird ou NileSat. Quando aluguei o apartamento já havia instalado um conjunto de antena-decoder, mas o canais bons do HotBird são todos bloqueados. Há algumas mutretas para desbloquear os canais, as como não conheço nenhum técnico de confiança, deixei para lá. Limitado a tele-sexo e canais romenos e árabes bizarros, fiquei sem ver TV bastante tempo.

Um tempo depois descobri que alguns italianos da empresa trouxeram decoders da Sky Italiana, e funcionou aqui, pois a Sky usa o satélite Hotbird. Sabendo disso, comprei um decoder da Globo Internacional, que também faz uso do Hotbird, e fiz a assinatura. Como não há representante da Globo aqui, encomendei da Itália com a promessa que chegaria aqui em 2, no máximo três dias. Ia ser legal, poder ver uns jogos de futebol e quando minha querida esposa estivesse aqui ela poderia seguir a novela, saber o que acontece na Fazendinha, coisa e tal…

O decoder chegou em três dias sim, mas demorou mais de dois meses para conseguir que chegasse até a minha casa, devido a problemas com a alfãndega.

Primeiro foi mandado de volta para a Itália pois faltava uma declaração que o decoder não seria usado para fins militares. alguém por favor me explica isso, como assim um decoder de TV sendo usado para fins militares? Será que em algum episódio do Magaiver ele faz um deoder se transformar uma bomba de gás mostarda? Será que é alguma técnica que o Jack Bauer nunca me ensinou? Vai saber…

A empresa italiana fez uma carta, traduziu em francês, e mandou do novo o decoder. O correio acusava o recebimento na Tunísia, mas o aparelho sumiu. Depois de um mês procurando como um doido, ligando para o correio tunisiano e para o correio italiano, para a alfãndega daqui, acendendo vela e pedindo pra São Longuinho, acabei por descobrir o que acontecera com o Decoder.

Como o endereço de entrega era na empresa, o aparelho foi parar (não me perguntem como!) no despachante da empresa, que começou um processo de importação pelo qual queriam me fazer pagar 3 vezes o preço que eu paguei pelo aparelho! É claro que mandei devolver o troço para a Itália.

Avisei a empresa que me vendeu que o produto iria voltar para eles, que deixassem lá que eu arrumaria alguém para buscá-lo em Roma. Depois de uma semana o cara me liga e diz que o troço não tinha chegado. Devo admitir que já tinha considerado o aparelho perdido e me resignado a não ver TV.

Passa mais uma semana e me ligam da minha empresa em Milão. Um pacote com meu nome tinha chegado lá, se deviam mandar para a Tunísia. Pedi para o cara abrir, e era o bendito decoder. Falei para ele deixar lá, que alguém iria buscá-lo para mim.

Depois de todas as tentativas legais frustradas, acabei por conseguir trazer o decoder de “contrabando” na mala de um colega. O decoder bendito que me deixa ver Globo Internacional! Liguei para a Globo, dei o cartão de crédito, efetuei a assinatura! Em cinco minutos, estava tudo funcionando! Viva! Gente falando em português! Isso já faz uns meses e no início foi só alegria!

Essa alegria todo durou pouco, só até eu concluir que a programação da Globo Internacional é uma boa merda. Novela 80% do tempo, VTs de jogos de campeonatos que não assisto, não passa jogo do Brasil e o Fantástico é segunda a noite. FANTÁSTICO SEGUNDA A NOITE! E agora então com o Big brother Brasil, está insuportável… Toda hora tem chamada, quem vai ser o líder, quem vai sair, que saco Bial!

Além de todo o problema para trazer o decoder, havia ainda um problema com meu apartamento. O cabo da antena parabólica saía do teto da varanda e para entrar em casa precisava passar pela porta da varanda. O resultado mais prático disso é que para ver televisão a porta da varanda tinha que estar entreaberta, e no inverno o vento frio faz o ato de assistir qualquer programa em um inferno gelado.

Semana passada a persiana das janelas da varanda começou a dar problema. Na verdade já fazia tempo que a persiana não funcionava direito, desde o dia em que eu fiquei trancado do lado de fora de casa e precisei pular da janela do vizinho até minha varanda e “arrombar” a persiana. Não entro em detalhes, mas imaginem a cena ridícula de um gordo pendurado num prédio tentando pular de um apartamento para o outro.

Voltando à persiana, neste domingo ela morreu. Depois de caçar quem tinha instalado a persiana para o dono do apartamento, o que também não foi fácil, consegui marcar uma visita para hoje DE MANHà. Chegaram dois operários em casa, às DUAS da tarde, para consertar a persiana. De primeira não botei fé nos caras, que não falavam francês, só árabe. Mas eles me surpreenderam. Conseguiram consertar o problema em menos de 40 minutos.

Quando os caras viram o cabo da antena, entendi através dos gestos deles e de algumas palavras em francês pescadas nesses dialeto louco que se fala nessa terra, que se propunham a resolver meu problema com a antena. A idéia era fazer um buraco em uma placa de madeirite “fantasiada” de parede, que faz parte do conjunto da persiana.

Eu aceitei, e os caras furaram a madeirite à unha, com uma chave de fenda, já que não tinha furadeira. Coisa de doido, o cara suava feito louco, rodando a chavinha para fazer um buraco capaz de fazer passar por ali um cabo coaxial! A cena era meio esdrúxula, estranha mesmo, mas acabou que conseguiram fazer o buraco, deu certo passar o cabo e me resolveram este problema também. Duro foi entender em árabe quanto eles queriam pelo seviço.

Depois desta pequena epopéia posso ver televisão quentinho. O único problema é que NUNCA passa alguma coisa boa nesta bosta de Globo Internacional. Na hora que chego em casa está passando A Casa das 77 bruacas pela enésima vez. Quando acordo tá passando uma versão modernosa de telecurso segundo grau.

É, bem que me avisaram que não se pode ter tudo na vida.

Televisão na Tunísia e a Globo Internacional!

Um problema do meu apartamento aqui na Tunísia sempre foi assistir televisão.

Aqui só há dois canais do que nós no Brasil chamamos de TV aberta. E não existe nenhum tipo de serviço de televisão por assinatura, tipo NET ou DirecTV.

A única opção que nós temos é comprar uma parabólica e um decoder e assistir aos canais “abertos” de algum satélite, como o HotBird ou NileSat. Quando aluguei o apartamento já havia instalado um conjunto de antena-decoder, mas o canais bons do HotBird são todos bloqueados. Há algumas mutretas para desbloquear os canais, as como não conheço nenhum técnico de confiança, deixei para lá. Limitado a tele-sexo e canais romenos e árabes bizarros, fiquei sem ver TV bastante tempo.

Um tempo depois descobri que alguns italianos da empresa trouxeram decoders da Sky Italiana, e funcionou aqui, pois a Sky usa o satélite Hotbird. Sabendo disso, comprei um decoder da Globo Internacional, que também faz uso do Hotbird, e fiz a assinatura. Como não há representante da Globo aqui, encomendei da Itália com a promessa que chegaria aqui em 2, no máximo três dias. Ia ser legal, poder ver uns jogos de futebol e quando minha querida esposa estivesse aqui ela poderia seguir a novela, saber o que acontece na Fazendinha, coisa e tal…

O decoder chegou em três dias sim, mas demorou mais de dois meses para conseguir que chegasse até a minha casa, devido a problemas com a alfãndega.

Primeiro foi mandado de volta para a Itália pois faltava uma declaração que o decoder não seria usado para fins militares. alguém por favor me explica isso, como assim um decoder de TV sendo usado para fins militares? Será que em algum episódio do Magaiver ele faz um deoder se transformar uma bomba de gás mostarda? Será que é alguma técnica que o Jack Bauer nunca me ensinou? Vai saber…

A empresa italiana fez uma carta, traduziu em francês, e mandou do novo o decoder. O correio acusava o recebimento na Tunísia, mas o aparelho sumiu. Depois de um mês procurando como um doido, ligando para o correio tunisiano e para o correio italiano, para a alfãndega daqui, acendendo vela e pedindo pra São Longuinho, acabei por descobrir o que acontecera com o Decoder.

Como o endereço de entrega era na empresa, o aparelho foi parar (não me perguntem como!) no despachante da empresa, que começou um processo de importação pelo qual queriam me fazer pagar 3 vezes o preço que eu paguei pelo aparelho! É claro que mandei devolver o troço para a Itália.

Avisei a empresa que me vendeu que o produto iria voltar para eles, que deixassem lá que eu arrumaria alguém para buscá-lo em Roma. Depois de uma semana o cara me liga e diz que o troço não tinha chegado. Devo admitir que já tinha considerado o aparelho perdido e me resignado a não ver TV.

Passa mais uma semana e me ligam da minha empresa em Milão. Um pacote com meu nome tinha chegado lá, se deviam mandar para a Tunísia. Pedi para o cara abrir, e era o bendito decoder. Falei para ele deixar lá, que alguém iria buscá-lo para mim.

Depois de todas as tentativas legais frustradas, acabei por conseguir trazer o decoder de “contrabando” na mala de um colega. O decoder bendito que me deixa ver Globo Internacional! Liguei para a Globo, dei o cartão de crédito, efetuei a assinatura! Em cinco minutos, estava tudo funcionando! Viva! Gente falando em português! Isso já faz uns meses e no início foi só alegria!

Essa alegria todo durou pouco, só até eu concluir que a programação da Globo Internacional é uma boa merda. Novela 80% do tempo, VTs de jogos de campeonatos que não assisto, não passa jogo do Brasil e o Fantástico é segunda a noite. FANTÁSTICO SEGUNDA A NOITE! E agora então com o Big brother Brasil, está insuportável… Toda hora tem chamada, quem vai ser o líder, quem vai sair, que saco Bial!

Além de todo o problema para trazer o decoder, havia ainda um problema com meu apartamento. O cabo da antena parabólica saía do teto da varanda e para entrar em casa precisava passar pela porta da varanda. O resultado mais prático disso é que para ver televisão a porta da varanda tinha que estar entreaberta, e no inverno o vento frio faz o ato de assistir qualquer programa em um inferno gelado.

Semana passada a persiana das janelas da varanda começou a dar problema. Na verdade já fazia tempo que a persiana não funcionava direito, desde o dia em que eu fiquei trancado do lado de fora de casa e precisei pular da janela do vizinho até minha varanda e “arrombar” a persiana. Não entro em detalhes, mas imaginem a cena ridícula de um gordo pendurado num prédio tentando pular de um apartamento para o outro.

Voltando à persiana, neste domingo ela morreu. Depois de caçar quem tinha instalado a persiana para o dono do apartamento, o que também não foi fácil, consegui marcar uma visita para hoje DE MANHà. Chegaram dois operários em casa, às DUAS da tarde, para consertar a persiana. De primeira não botei fé nos caras, que não falavam francês, só árabe. Mas eles me surpreenderam. Conseguiram consertar o problema em menos de 40 minutos.

Quando os caras viram o cabo da antena, entendi através dos gestos deles e de algumas palavras em francês pescadas nesses dialeto louco que se fala nessa terra, que se propunham a resolver meu problema com a antena. A idéia era fazer um buraco em uma placa de madeirite “fantasiada” de parede, que faz parte do conjunto da persiana.

Eu aceitei, e os caras furaram a madeirite à unha, com uma chave de fenda, já que não tinha furadeira. Coisa de doido, o cara suava feito louco, rodando a chavinha para fazer um buraco capaz de fazer passar por ali um cabo coaxial! A cena era meio esdrúxula, estranha mesmo, mas acabou que conseguiram fazer o buraco, deu certo passar o cabo e me resolveram este problema também. Duro foi entender em árabe quanto eles queriam pelo seviço.

Depois desta pequena epopéia posso ver televisão quentinho. O único problema é que NUNCA passa alguma coisa boa nesta bosta de Globo Internacional. Na hora que chego em casa está passando A Casa das 77 bruacas pela enésima vez. Quando acordo tá passando uma versão modernosa de telecurso segundo grau.

É, bem que me avisaram que não se pode ter tudo na vida.

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache