Mais uma dos nossos patéticos político-porcos gordos de mamar nas nossas tetas.

O Brasil é realmente um país assolado por uma classe política das mais nojentas do mundo. São porcos que não contentes de chafurdar na lama das falcatruas ainda tem a cara de pau de pedir reembolso de despesas por volta de R$15.000,00 por mês. Uma herança que nosso fantástico e hilário ex-presidente da Câmara, Severino, distribuiu fartamente entre seus pares.

Pobres deputados, de bolsos cheios e ética de bordel. Que se vendiam pelo melhor quinhão o país descobriu com o mensalão. Mas que iriam tão baixo, usando sua verba para abastecer frotas de transportadoras? Com notas frias, o que é pior… Querem que acreditemos que gastaram tudo em gasolina! E não são tributados! O meu décimo-terceiro tem tributação exclusiva, ou seja, pago e não declaro, mas eles que recebem de verba mais que o salário, TODO SANTO MÊS, não declaram esta renda extra.

Vergonha completa.

Onde está a opinião pública, meu Deus, para conter estes beócios famintos, de apetite pantagruélico e insaciável? São todos farinha do mesmo saco, nas diferentes legendas, nos diferentes ideários, na mesma falta de ética. Este país (e quando o digo me dá um arrepio, pois virou bordão dos mais gastos na gestão do Lula) precisa de que se queimem carros nas ruas, como na França, precisa que aprenda o conceito de desobediência civil, precisa tomar uma atitude contra estas hienas famintas que só nos procuram para votar e pagar impostos.

PORCOS!

Primeira Vitória no Brasileirão 2006

O Fluminense começou com pé direito e ganhou do Atlético Paranaense na Arena da Baixada por 2 a 1. Gols dos alas Rogério e Marcelo. Foi um jogo tenso, principalmente no final, pois os atleticanos lutavam com unhas e dentes para empatar o jogo. Mas no fim o tricolor se sagrou vitorioso.

O técnico Oswaldo de Oliveira conta com a simpatia da torcida e parece que conseguiu dar uma ordem no “bando” de jogadores do Flu, fazendo com que o grupo possa começar a ser chamado de equipe. Vamos ver, torcer e esperar!

Começou o Brasileirão 2006

Hoje começou o Brasileirão 2006. O Vasco empatou com o Internacional em 1×1 em São Januário. O Flu estréia amanhã contra o Atlético Paranaense no sul. Este ano as esperanças são de um bom campeonato, mas ainda tem muita água para rolar antes de eu acreditar que estaremos lutando pelo titulo. O Pedrinho, considerado por todos um ótimo reforço, fica mais no estaleiro que em campo. Tenho impatia por ele, mas um amigo santista me disse que o apelido dele em SP é “podrinho”. Espero muito que ele esteja errado.
No carioca tínhamos tudo para ir bem, começamos embalados, mas algo inexplicável aconteceu e o time parecia um bando em campo.

Só nos resta, tricolores, aguardar e ver o que vai acontecer.

Mac e Linux

Sou agora um fã do Mac, mas não consigo deixar de lado por muito tempo minha atração pelo sistema do Tux. Escrevi minha monografia e minha tese e mestrado usando Kile e Latex, usei muito o Gnucash para controlar minhas descontroladas finanças, enfim, estive sempre mergulhado no mundo opensource. São, afinal, quase 10 anos de envolvimento com o Linux, que me deram satisfações e aporrinhações. No pouco tempo de vida deste Macmini, já instalei nele o Kubuntu e pensei em instalar o Gentoo, mas desisti, é um processo longo, e realmente não estava disposto a gastar tanto tempo com isso.

Quando resolvi levar mais a sério a possibilidade de ter um Mac, pensei que ia me encontrar isolado do mundo, com poucas zonas de fronteira entre o mundo Apple e o outros. Pode ser verdade para um usuário padrão, mas descobri ser um ledo engano se você é um escovador de bits.

Com um pouco de pesquisa, descobri que é possível emular outros sistemas operacionais dentro do OS X. O produto comercial mais conhecido é o Virtual PC da Microsoft, que lhe permite instalar a família Windows e Linux, rodando em uma janela. É claro que sendo um emulador há limitações, principalmente em velocidade e gráfica, mas é uma opção interessante. Coloquei rodando o Windows XP em janela redondinho aqui em casa. Pretendia instalar o Debian também, quando descobri um projeto interessantíssimo, o Fink.
Os desenvolvedores do Fink resolveram portar software linux open source para o Mac, criaram uma mini-distribuição debian based, portaram e compilaram uma série de aplicações permitindo rodá-las nativamente sem prejuízo de prestações. Incrível! O mesmo Gnucash, o mesmo Latex e Kile, o Gimp, todos eles estão lá. São jogos, aplicativos, linguagens de programação, um pouquinho de tudo, e é muita coisa mesmo assim. E seguindo a GPL, de uso e distribuição gratuita.

Mais uma vez o Mac me surpreende positivamente. De continente isolado sem fronteiras para o mundo se transformou num ponto de convergência de três sistemas diferentes, principalmente agora, com o lançamento dos novos MacIntel.

MacMini Upgrade para 1 Gb

O Macmini aqui de casa veio com 512Mb de memória. Pode parecer suficiente à primeira vista, mas eu devo dizer que em alguns momentos me irritava a lerdeza com a qual algumas aplicações rodavam. Comecei a me coçar e liguei para a Apple Store para perguntar a quanto sairia o upgrade. Sem o mínimo pudor a simpática atendente me informou que com a bagatela de R$780,00 meu Mac sairia da loja bonitinho como sempre e com 1 Gb de RAM. Agradeci gentilmente, desliguei o telefone entre o entristecido e o perplexo e decidi procurar o preço nos E.U.A., mais para motivo de comparação mesmo. Abri o navegador e comecei uma procura no Google.

Achei então uma página ensinando a abrir o MacMini, permitindo, assim, que o upgrade pudesse ser feito. Olhei as fotos, aquela faquinha entrando no micro e…refuguei. Não ia meter a faca no bichinho, que custa uma baba, e correr o risco, com a minha delicadeza, de arrebentá-lo todo.

Lendo alguns foruns pela net afora, decobri que a memória PC2700, recomendada pela a Apple, dificílima de achar aqui pelas nossas bandas, poderia ser substituída por uma PC3200, muito mais comum no mercado, a preços que variam de R$180 a R$ 500, dependendo da marca. Mas de que adianta se não podia abrir o Macmini? Achei um video demonstrado o procedimento, parece simples, mas me deu medo!
Pois qual não foi minha surpresa ao descobrir uma forma alternativa para abrir o bendito! Sem faca, sem arranhões, apenas com um pouco paciência e perseverança! Tomei coragem, saí a campo, gastei R$300,00 em uma memória Kingston e passei 30 hora fazendo trabalho de costureira, passa fio de lá, puxa, passa fio de cá, puxa…

Tranquilamente pluguei a memória nova de 1 Gb, passei os 512Mb para o PC, e eureka… Um Macmini incrivelmente mais prestativo…

MacMini Upgrade para 1 Gb

O Macmini aqui de casa veio com 512Mb de memória. Pode parecer suficiente à primeira vista, mas eu devo dizer que em alguns momentos me irritava a lerdeza com a qual algumas aplicações rodavam. Comecei a me coçar e liguei para a Apple Store para perguntar a quanto sairia o upgrade. Sem o mínimo pudor a simpática atendente me informou que com a bagatela de R$780,00 meu Mac sairia da loja bonitinho como sempre e com 1 Gb de RAM. Agradeci gentilmente, desliguei o telefone entre o entristecido e o perplexo e decidi procurar o preço nos E.U.A., mais para motivo de comparação mesmo. Abri o navegador e comecei uma procura no Google.

Achei então uma página ensinando a abrir o MacMini, permitindo, assim, que o upgrade pudesse ser feito. Olhei as fotos, aquela faquinha entrando no micro e…refuguei. Não ia meter a faca no bichinho, que custa uma baba, e correr o risco, com a minha delicadeza, de arrebentá-lo todo.

Lendo alguns foruns pela net afora, decobri que a memória PC2700, recomendada pela a Apple, dificílima de achar aqui pelas nossas bandas, poderia ser substituída por uma PC3200, muito mais comum no mercado, a preços que variam de R$180 a R$ 500, dependendo da marca. Mas de que adianta se não podia abrir o Macmini? Achei um video demonstrado o procedimento, parece simples, mas me deu medo!
Pois qual não foi minha surpresa ao descobrir uma forma alternativa para abrir o bendito! Sem faca, sem arranhões, apenas com um pouco paciência e perseverança! Tomei coragem, saí a campo, gastei R$300,00 em uma memória Kingston e passei 30 hora fazendo trabalho de costureira, passa fio de lá, puxa, passa fio de cá, puxa…

Tranquilamente pluguei a memória nova de 1 Gb, passei os 512Mb para o PC, e eureka… Um Macmini incrivelmente mais prestativo…

Windows no iMac Intel… Não é mais especulação!

A Apple desenvolveu e está distribuindo gratuitamente um produto para que os usuários dos novos iMac com chip Intel possam instalar o sistema de Bill Gates. Foi uma notícia de imediato muito interesante para os acionistas da Apple (subiu 10% em um só dia!), visto que a Microsoft domina o mercado de Sistemas Operacionais domésticos e o hardware da Apple é realmente o que há de mais inovador e user friendly do mercado. Um boom de vendas dos micros é esperado, e eu não duvido nem um pouco que ocorra! Considerando que você queira gastar R$8000 em um computador, você preferiria comprar, sabendo que pode rodar o Windows nos dois micros:
Um iMac com a seguinte especificação:

  • Marca : Apple
    Processador : Intel
    Tecnologia Processador : Intel Core Duo
    Freqüência / velocidade (clock) em GHz : 2.00
    Memória Cache em KB : 2 MB
    Memória em MB : 512
    Memória RAM em Mb : 512
    Padrão Memória : DDR
    Tipo Memória : SDRAM
    Expansão de memória até : 2
    Disco rígido : 250
    Velocidade Leitura CD : 32x
    Velocidade Leitura DVD : 16x
    Velocidade Gravação CD : 24x
    Velocidade Gravação CD-RW : 24x
    Velocidade Gravação DVD : 16x
    Tipo : Super drive
    Disco flexível : Não
    Placa de rede : Ethernet 10/100/1000 BASE-T
    Norma Modem : V92
    Velocidade Modem : 56
    Wireless Integrado : Sim
    Padrão Wireless : 802.11b/g
    Infravermelho : Não
    Bluetooth : Sim
    Portas USB (Total / Frontais) : 5/0
    Portas USB / frontais : 5/0
    Portas FireWire / frontais : 2/0
    Placa de vídeo : ATI Radeon X1600 PCI Express
    Memória Placa Video : 128
    Sistema Operacional : Mac OS X
    Tipo Tela : LCD
    Tamanho Tela : 20
    Resolução Tela : 1440×900
    Bateria : 110 / 220 V
    Voltagem : 110 / 220 V
    Dimensões (LXAXP) em cm : 49,3×47,2×18,9
    Autonomia Bateria em h : 49,3×47,2×18,9
    Peso em kg (sem embalagem) : 10

ou um PC com a seguinte especificação?

  • Marca : Semp Toshiba
    Processador : Intel
    Tecnologia Processador : Pentium 4
    Freqüência / velocidade (clock) em GHz : 2.8
    Memória em MB : 512
    Padrão Memória : DDR
    Disco rígido : 120
    Tipo : Combo
    Placa de rede : Ethernet 10/100 BASE-T
    Velocidade Modem : 56
    Wireless Integrado : Sim
    Padrão Wireless : 802.11 g
    Infravermelho : Sim
    Portas USB / frontais : 5
    Placa de vídeo : AGP 8X
    Memória Placa Video : 128
    Sistema Operacional : Windows XP Home
    Tipo Tela : LCD
    Tamanho Tela : 17
    Dimensões (LXAXP) em cm : 56x38x24
    Particularidades : Sintonizador AM/Fm, Mouse e teclado sem fio

Eu não teria muita dúvida. E pegaria o Apple.
O processador do PC é um P4 , o Apple um Intel Core Duo.
O Hd do PC é metade do tamanha do da Apple.
O tela do Apple é 20”, a do PC é 17”.
O PC tem rádio AM/FM e teclado e mouse sem fio…
Sem falar no design.
Na data de hoje, na FNac, você pode comprar os dois pelo mesmo preço.
É claro que é uma escolha fácil para quem tem muito dinheiro, para mim está fora da realidade.

O programa magnífico que faz rodar o Windows no iMac se chama Boot Camp e será integrado às novas versões do MAC OS X. Rodar WIndows no Mac é fascinante, e já havia sido conseguido antes por alguns hackers, que inclusive divulgaram complicadíssimas receitasd de bolo para aqueles que desejassem se aventurar. O Linux também já roda no novo hardware. Mas aparentemente o Boot Camp facilitará a vida do usuário para que, no melhor estilo MAC OS X, o usuário tenha que ter trabalho próximo ao nulo para instalar o Windows XP.
Eu não acredito que este passo da Apple fará com que o Mac OS X seja devorado pelo concorrente. Acho que vai acabar sendo mais conhecido, pois vem pré instalado nos micros quando forem comprados, e será preciso acessá-lo para instalar o Windows. E posso apostar que ele é tão capaz de seduzir as pessoas quanto o magnífico design da empresa de Steve Jobs.

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache