Quarta-feira puxada

Esta quarta-feira está sendo extremamente cansativa. Parece que todas as urgências aterrizaram no nosso departamento, mais precisamente no meu colo. Em dados momentos fico p. da vida com isto aqui. Nem consegui sair direito para fumar. Não que isso seja de todo o mal, mas o que me deixa louco é a falta de organização e prioridades de alguns colegas… Parece que só querem que o barco afunde mais e mais… A obra está acabando, a boca se fechando, as latas sendo amarradas…

E hoje ainda tenho que ver o jogo do Flu, que é sempre um risco de enfarte!

Fluminense e Ponte Preta

Mais um jogo em que o Fluminense perde. Desta vez o árbitro falhou feio contra o Flu, marcando uma penalidade máxima inexistente. O jogo terminou 2x 1 para Ponte, e o flu despencou na tabela de vez, para 8 lugar com 23 pontos, enquanto o líder, a Ponte, está com 29. Agora, é esperar para ver o que acontecerá contra o Goiás.

Casamento Claudio e Gi

Uma noite mágica. O casal era só felicidade! Os amigos todos reunidos, a família, uma noite espetacular, realmente marcante. Desejo muita felicidade aos dois!

E pensar que 8 anos depois do início da faculdade (isso mesmo 8 anos!) íamos estar todos juntos no casamento do Cláudio… Me lembro do primeiro ano, ele meio tímido sentado perto da parece, quase ao lado da porta, com um brinco na orelha e cara de assustado. E a Gi eu conheci ainda antes dela entrar na faculdade, quando saíamos com Vanessa pro Rock´n´Rios da noite carioca. Lembro ainda dela na faculdade, sempre com seus modos simpáticos, nos esbarrávamos nos elevadores e ela sempre sorridente e com pressa! Caramba, que imagens legais… Eu nunca imaginei que eles iriam namorar… E deu certo pacas!

Foi um dos casamentos onde vi os noivos mais alegres, dançando e rindo a noite toda! Viva os noivos! Viva Gi e viva Cláudio!

Casamento Claudio e Gi

Uma noite mágica. O casal era só felicidade! Os amigos todos reunidos, a família, uma noite espetacular, realmente marcante. Desejo muita felicidade aos dois!

E pensar que 8 anos depois do início da faculdade (isso mesmo 8 anos!) íamos estar todos juntos no casamento do Cláudio… Me lembro do primeiro ano, ele meio tímido sentado perto da parece, quase ao lado da porta, com um brinco na orelha e cara de assustado. E a Gi eu conheci ainda antes dela entrar na faculdade, quando saíamos com Vanessa pro Rock´n´Rios da noite carioca. Lembro ainda dela na faculdade, sempre com seus modos simpáticos, nos esbarrávamos nos elevadores e ela sempre sorridente e com pressa! Caramba, que imagens legais… Eu nunca imaginei que eles iriam namorar… E deu certo pacas!

Foi um dos casamentos onde vi os noivos mais alegres, dançando e rindo a noite toda! Viva os noivos! Viva Gi e viva Cláudio!

Partida perdida – Mais uma por falta de sorte?

O Fluminense jogou com o Atlético Paranaense ontem na Arena da Baixada e perdeu o jogo por três a dois.

Foi uma partida chata, muito corrida, mas recheada de passes errados e pouco ímpeto ofensivo de ambas as partes. Eu me pergunto com certa ironia, se a situação do Flusãono campeonato vai ser esta, de ficar de iô-iô! O time é bom, o técnico incentiva, a diretoria apóia… O que está faltando para engrenar de vez?

Partida perdida – Mais uma por falta de sorte?

O Fluminense jogou com o Atlético Paranaense ontem na Arena da Baixada e perdeu o jogo por três a dois.

Foi uma partida chata, muito corrida, mas recheada de passes errados e pouco ímpeto ofensivo de ambas as partes. Eu me pergunto com certa ironia, se a situação do Flusãono campeonato vai ser esta, de ficar de iô-iô! O time é bom, o técnico incentiva, a diretoria apóia… O que está faltando para engrenar de vez?

A volta para casa

A volta para casa da boate no sábado foi interessante. Precisando passar pelo túnel para ir em direção à Barra, os amigos informaram que deveríamos ter cuidado. Um tiroteio na Rocinha estava impedindo a passagem de carros no início da noite. Como eram 2:00 da manhã, resolvi ligar para a Polícia Militar no 190, para saber se estava seguro passar pelo túnel. Atendia o telefone uma voz metálica que dizia: “- Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, este serviço está temporariamente indisponível. ” Mas que incrível! O número de emergência da Polícia indisonível!

Resolvemos então procurar um policial a quem perguntar sobre a segurança do trajeto. Saímos da Praça Nossa Senhora da Paz e fomos para a praia. Seguimos a orla toda e nada de policiais. Um carro da polícia sem ninguém, cabines da PM, uma com as luzes apagadas, vazias. Indecisos sobre seguir pelo túnel ou pela Av. Niemeyer, seguimos em direção a Ipanema pelo Leblon, na tentativa de encontrar alguém da PM. Ninguém. Resolvo ligar para o 190 de novo. Desta vez me atenderam, exatos 15 minutos depois da primeira ligação. Sem pressa… Afinal, o que são 15 minutos para a emergência da polícia? O atendente, muito simpático, ao ouvir minha pergunta, grita para o outro:” Aí, o túnel já tá liberado? Xi… Ainda não? Meu senhor, siga pela Niemeyer, o túnel ainda está com problemas…”

Seguimos então pela orla, que estava, entre S. Conrado e Leblon, cheia de policiais. Vários carros parados e pessoas apresentando documentação. Ao encontrar a primeira viatura perguntamos ao policial se estava tranquilo e disse que sim e seguimos em frente. Decidimos fazer o caminho pela praia de S. Conrado para evitar passar na frente da Rocinha, e ao chegar no retorno víamos ao longe ainda uma confusão de carros de polícia com as luzes piscando… Chegamos em casa tranquilos uns 20 minutos depois.

No dia seguinte os jornais relatavam confrontos que duraram algumas horas, até perto de meia-noite. Mas a sensação de insegurança persistiu pela madrugada. Me pergunto quantas pessoas não tenham sido avisadas da situação e se depararam com o caos na saída do túnel. Uma pena que uma cidade tão maravilhosa esteja vivendo um crise de segurança tão profunda. É como viver um inferno no paraíso.

Fim de semana na gandaia

Este fim de semana foi bem agitado. Com o casamento do Cláudio e da Gi chegando, fizemos a despedida de solteiro deles no sábado. Os homens foram para o bar informal, botar o pé na jaca, pra não dizer na cana. As mulheres forma para o Devassa no Jardim Botãnico, para vigiar a entrada da Solarium e manguassar do mesmo modo.

Depois do Leblon fui com o Rapha ao aniversário do Proença em Botafogo, onde revi vários personagens épicos dos anos de faculdade, entre eles o Rogério, um ícone daqueles anos. Aparentemente congelado e empalhado no tempo, estava com o mesmo casaco que usou pelo menos nos últimos cinco aniversários do Proença. Pena que ficamos pouco tempo, saímos de lá e nos encontramos com as meninas na discoteca pitboy neo-riche total Baronetti. Se não fosse a companhia dos amigos eu diria que, ao entrar por quela porta, onde as pessoas se amontoavam para entrar no exclusivíssimo club, jogamos dinheiro no lixo… R$110,00 pelo bueiro, mas pelo menos nos divertimos com o pessoal das antigas.

Semana que vem tem o casamento, que promete abalar as estruturas!

Quinta Feira Calma

Hoje o chefe faltou. Estou conseguindo por em dia todo o trabalho acumulado. Só o fato de não haver nada urgente para ser resolvida.

Além disso apareceu por aqui um CD do Mução. É coisa engraçada! Na hora do almoço o povo aqui gargalhou com o FURÉNCO!

Que canseira

Plena quarta-feira de manhã e já estou com uma canseira! Trabalhar aqui em duque do castigo realmente é o ó. Estou ficando louco, na paranóia total. Tá todo mundo aqui sendo mandado embora, o projeto está no fim, e vai sobrando poucos pra contar história. Eu acredito que vai demorar um pouquinho para ” amarrarem minha lata”, afinal sou o único que fala inglês no departametno além do chefe, mas nunca se sabe.

Aí, quem souber um bico bom pra mim, manda notícias! Tá na hora de botar o meu CV na roda de novo. Que bosta!

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache