A sanguessuga

Semana passada, cheguei tarde do trabalho e fui ao banheiro aliviar a bexiga. Qual não foi meu susto ao ver, na tampa do vaso sanitário, um pedaço de cocô! Que nojo! Só de olhar o meu estômogo embrulhou!
Como o serviço do Residence é de qualidade inferior ao que vi no Carnaval de São Luis do Paraitinga (quem conhece as histórias de Dona Benedita sabe do que esto falando, né POC…), nem me estressei em chamar alguém para limpar… Ia ficar esperando até o fim da semana… Peguei um papel higiênico e empurrei a merda (literalmente) para dentro do vaso sanitário… E aí que eu me borrei de susto! A merda se mexeu e começou a se debater na água até escapar do papel higiênico…
Como vocês devem ter percebido a merda não era bosta, mas sim uma sanguessuga preta gigantesca! Puxei a água e lá se foi por água abaixo a danada… Tomei meu banho, fui jantar, e quando voltei e fui escovar os dentes… Lá estava a desgraçada outra vez! Tentando subir na parede do vaso sanitário, por dentro! Nojento!
Puxei a água e assim o fiz a cada 10 minutos até dormir… Me arrependi de não ter feito uma foto! Eu nunca tinha visto uma sanguessuga tão grande, tão feia como aquela! Eu sabia que sanguessugas gostavam de água limpa, mas de esgoto… Nojento nojento nojento!
Um tempo depois contei a história para um colega que me disse que da provada dele, no dia seguinte, também saiu uma sanguessuga… Pela descrição, chegamos à conclusão que era a mesma. Tenho certeza que ela não volta… Ele me descreveu uma sessão de tortura regada à água sanitária e pinho sol, que não entro em detalhes para que todos possamdormir tranquilamente…
Olhem sempre para a privada antes de sentar, pessoal! Principalmente se estiver na África!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache