Trazendo pra perto um pouco de casa…

Com ajuda da Internet para encurtar as distâncias eu quase todos os dias tenho notícias de casa. Tenho construído uma rotina diária de plugar o iPod no computador toda noite e pela manhã ir para o trabalho ouvindo os podcasts da CBN. É engraçado pensar que os mesmos comentaristas que eu ouvia pela manhã indo da Barra ao Centro me acompanham do Lac a Charguia II. Aqui em Tunis, há rádios em Árabe e em Francês, transmitidas daqui mesmo, e algumas estações em italiano, que chegam devido à vizinhança com a Sicília. Na maior parte do tempo só há música, poucas notícias do resto do mundo, acaba sendo fácil ficar bitolado por estas bandas.
Aqui ninguém fala de pan-americano, o que me parece até razoável, afinal estamos na África. A Copa América interessa pouco ao pessoal, mas tem quem esteja doido pro Brasil apanhar da Argentina para poder me dar uma zoada, principalmente os italianos do trabalho. Os tunisianos todos do escritório já foram devidamente doutrinados e sabem que a Argentina deve ser devidamente agourada. E depois que preguei um poster do Fluminense Campeão da Copa do Brasil na parede do escritório, italianos e tunisianos, todos foram convertidos às três cores que traduzem tradição.
Deve fazer mais de um mês que não acendo a TV em casa, e minha única fonte de informação é a Internet. Pra dizer a verdade não sinto a mínima falta. Afinal o campeonato brasileiro não é transmitido por estas bandas ao vivo, só em reprise. Jornal eu leio online.
A distância de casa não me impede porém de ter um juízo formado sobre a situação do nosso país. A roubalheira que tenho visto nos noticiários não me impressiona. O que me impressiona é a cara de pau dos políticos e a apatia do presidente. Quando houve a crise que implodiu o PT por dentro, mostrando as vísceras podres para população, Lula se fingir de morto era mais do que esperado, apesar de ser uma atitude covarde. Mas agora é demais. A falta de credibilidade, seja do governo, seja da oposição, é tanta, que não há quem possa levantar a voz e falar grosso. O Senado brasileiro, que tanto enche a boca para se dizer uma instituição centenária, deveria ser uma garantia institucional de seriedade e de retidão. Mas infelizmente demonstra apenas que é corporativista e alcova de criminosos. Não se pode pedir que outros países nos respeitem no comércio e nas relações internacionais se nem mesmo nossos representantes eleitos nos respeitam. Porque é demasiada desfaçatez o que estão fazendo com o Brasil. Uma pena que depois de tantos anos de ditadura a democracia haja se tornado essa piada de mal gosto que vemos todos os dias. O povo brasileiro merece um pouco mais de seriedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache