Minhas primeiras impressões da Tunísia

Sim amigos, para aqueles que esperavam me ver de volta em Angola, tenho uma surpresa. Estou em Túnis, capital da Tunísia, um país que, comigo, totaliza a gigante comunidade de 34 brasileiros.

Antes de mais nada é preciso localizar o país no mapa, para perceber que é quase colado à Itália. Dizem que da ponta norte do país consegue-se ver a Sicília. Colônia francesa por muitos anos, a Tunísia tem como línguas principais o francês e o árabe. Todos falam árabe, quase todos francês e um número incrível de pessoas falam italiano.

O país é governado há muitos anos pelo mesmo homem, Ben Ali, e conseguiu transformar-se em pólo turístico para os europeus que querem aproveitar prais lindas no verão, sem ter que viajar muito. Em menos de uma hora se pode voar de Tunis até Roma. Paris, Frankfourt, estão todas bastante perto.

Tendo chegado dia 03/03 ainda conheço pouco da cidade, estou com um Ford Fiesta alugado pela empresa há três dias, e devo dizer que estou positivamente impressionado. A cidade é bem mais limpa que o Rio de Janeiro, e sabe tratar o turista muito bem. Há vários sítios arqueológicos no país e espero poder conhecê-los logo para poder contar para vocês.

Faz um frio danado aqui! Eu achava que ia encontrar uma temperatura mais alta, mas de noite chega a 10 graus! E olha que o inverno já passou! Parece que no verão faz temperaturas carioquescas, ou seja, frio e calor pacas ao longo do ano.

A Tunísia é um país muçulmano, mas foge completamente do estereótipo que a televisão nos vende. Há mulheres com o cabelo coberto, mas a maior parte se veste à ocidental mesmo. Muitas crianças com seus pais e, ao menos em Tunis, não vi um mendigo, um flanelinha, um pivete sequer. Há uma incrível sensação de segurança, e posso afirmar que aqui me sinto menos propenso a sofrer um assalto que na Europa. Não se pode nunca esquecer, porém, que na hora de comprar qualquer coisa é fundamental chorar, e muito, um desconto, porque comprar sem negociar pode ser o equivalente a ser assaltado! 🙂 Um lálálálá ajuda pacas a diminuir o preço até de uma caixa de fósforos!

As pessoas aqui são muito prestativas. Eu, de onda, vou comprar um sanduba, por exemplo, num boteco qualquer, falo em português. Na maior parte das vezes o vendedor responde em árabe. Quando o samba do crioulo doido se instaura, eu solto uma palavra em francês, e aí os caras ficam realmente curiosos e se esforçam para entender o que eu quero. E, invariavelmente, quando, depois de todo o esforço dele, eu agradeço em árabe, eles abrem aquele sorriso largo e dizem: Benvenue en Tunisie!

Hoje é domingo de Páscoa, e a única igreja da capital parece que lota. Ainda não sei chegar até lá, por isso vou me abster da missa. Mas fico morrendo de curiosidade de como deve ser a vida de um fiel católico aqui. Até hoje nunca tinha estado em um país com maioria de outra religião, e realmente é muito interessante rodar por uma cidade por dias e não ver nem mesmo uma igreja, mas é ótimo ficar livre de alguns pastores televisivos picaretas (praga que até em Angola prosperava).

Por falar em Angola, deixei alguns amigos angolanos em Luanda, e mando a eles em especial um abraço de boa páscoa. A Tunísia está sendo uma oportunidade profissional incrível, com desafios que a empresa em Angola não podia me proporcionar.

Agora para todos os outros amigos, uma boa páscoa e muitas saudades, principalmente da família e da minha querida que ontem tomou um passo importante para que fiquemos juntos até que a morte nos separe!

Fico devendo as fotos de Parathy, mas elas virão!

Que a força esteja com vocês! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache