Ubuntu 6.06

Acabei de instalar o novo Ubuntu, a versão desktop. Estou positivamente impressionado e queimei minha língua quando reclamei de algumas coisas no post anterior. Depois de dar download do ISO da versão desktop, queimei um CD e dei o boot. E aí, amigo, já se prenuncia um novo mundo.

Agora a instalação é feita a partir de um live CD. Primeiro ele carrega o sistema na memória e dá ao usuário a chance de testar o sistema antes de intalar. Basta clicar no ícone “install” no desktop e um programinha começa a rodar, fácil, fácil, faz poucas perguntas, qual língua, qual teclado, em que partição instalar, e pronto. Daí em diante, foi abrir o gnometris e curtir o jogo, que em menos de dez minutos tudo estava instalado.

Reconheceu meu hardware todp, não deixou nada de fora. E para adicionar o suporte a mp3 e outros formatos de áudio e vídeo, foi molezinha… Basta ir em Application–>Add/Remove…, escolher Sound & Video, marcar “Show unsupported Applications” e mandar instalar os dois pacotes do Gstreamer. E tudo funfa 100%.

Fico com a certeza que o Ubuntu terá uma vantagem competitiva enorme perante os outros sabores de linux. Está fácil, bonito e redondo. Tudo bem amarradinho… Parabéns ao time de desenvolvedores!

Ubuntu 6.06

Acabei de instalar o novo Ubuntu, a versão desktop. Estou positivamente impressionado e queimei minha língua quando reclamei de algumas coisas no post anterior. Depois de dar download do ISO da versão desktop, queimei um CD e dei o boot. E aí, amigo, já se prenuncia um novo mundo.

Agora a instalação é feita a partir de um live CD. Primeiro ele carrega o sistema na memória e dá ao usuário a chance de testar o sistema antes de intalar. Basta clicar no ícone “install” no desktop e um programinha começa a rodar, fácil, fácil, faz poucas perguntas, qual língua, qual teclado, em que partição instalar, e pronto. Daí em diante, foi abrir o gnometris e curtir o jogo, que em menos de dez minutos tudo estava instalado.

Reconheceu meu hardware todp, não deixou nada de fora. E para adicionar o suporte a mp3 e outros formatos de áudio e vídeo, foi molezinha… Basta ir em Application–>Add/Remove…, escolher Sound & Video, marcar “Show unsupported Applications” e mandar instalar os dois pacotes do Gstreamer. E tudo funfa 100%.

Fico com a certeza que o Ubuntu terá uma vantagem competitiva enorme perante os outros sabores de linux. Está fácil, bonito e redondo. Tudo bem amarradinho… Parabéns ao time de desenvolvedores!

Ubuntu LS 6.06

Estou baixando a nova versão do Ubuntu e pretendo instalá-la ainda hoje. Na verdade eu já a tenho instalada, mas não através do CD oficial. Eu venho dando updates contínuos na máquina, de maneira que ela esteve estes últimos meses sempre atualizada em termos de pacotes de teste do Ubuntu. Essa estratégia me deixou sempre com uma idéia de como esta versão nova iria ser, mas ao mesmo tempo me criou algumas dores de cabeça, na medida em que eu nunca estive usando uma versão estável.
Alguns problemas que vou enumerar vieram e se foram com os pacotes novos. Outros vieram e ficaram. Isso sem nenhuma interferência minha, ou seja sem configurar nada.
A) A placa de som parou de funcionar, voltou, parou de novo…
B) O micro teve problemas com novos kernels, algumas vezes sendo preciso escolher um kernel antigo para funcionar a contento
C) O Apache não reconheceu o php de maneira nenhuma… Nesse caso compilei e instalei os dois na unha e rodou direitinho, ou seja, o problema eram/são os pacotes…
D) Em alguns momentos o vídeo parou de funcionar e só com a leitura de um kernel antigo voltou a funcionar.
Como dito antes, não estava rodando a versão estável, então não podia meter o pau no Ubuntu, eu escolhi viver perigosamente…
Com a nova instalação espero que as coisas funcionem redondinhas. O Ubuntu, até hoje, foi a distribuição linux mais tranquila em termos de instalação, e não enche o micro de programas inúteis. Seu principal problema, a meu ver, é a total falta de consideração com o que não é free-software (mp3, skype, wma.wmv,quicktime), fazendo com que seja preciso alguns passos adicionais para instalar tudo, nem sempre rodando suave. Nada tão complicado, mas o Kurumin, por exemplo, já vem com tudo mastigadinho. Seu problema principal é a quantidade infinita de programas pendurados nos menus e a interferência constante de diálogos explicativos, que, para o iniciante, é ótimo e para o avançado, é chato. Eu particularmente prefiro Gnome ao KDE, gosto mais da cara, me parece mais leve e bonito, me fascina mais, e acredito que este seja um fator também importante para que minha escolha.
Muita gente fala que estabilidade só o Debian é capaz de dar, e devo concordar que o Debian realmente é o linux mais preocupado em ser confiável. Mas peca pelo “arcaismo”, que talvez seja um dos motivos de tanta estabilidade, sendo extremamente difícil de instalar em um primeiro contato, do não iniciado, e nem um pouco simpático no processo de configuração. O Red Hat tinha muito do que o Ubuntu tem hoje, mas há tempos não tenho contato. O Fedora é muito elogiado, mas minha experiência com ele nã foi boa. Tenho saudades do velho e bom RH 6.2, que sempre me deu alegrias. Mandrake e Conectiva se fundiram e não sei porque me dá a impressão que pariram um monstro pesado e sem sal. Acho que cansei de distros RPM. Slack e Suse, nunca usei, e nem pretendo. E o Gentoo é ótimo, fica com a cara que você quiser dar, é realmente a distro que me deu mais liberdade até hoje e que nunca me deixou na mão, NUNCA, mas que para instalar requer paciência de jó, pois compila cada programa na sua máquina. Mas é estável para diabos…
Vamos ao Ubuntu 6.06… Assim que instalar faço um relatório… 🙂

Camelo Manco is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache